Quase 40% das empresas da região pretendem adotar o modelo, de acordo com novas pesquisas sobre tendências na região.

A pandemia Covid-19 fez com que os tomadores de decisão em toda a América Latina aumentassem os gastos com TI em 2021, com 39% das organizações na região planejando investir em computação em nuvem, de acordo com a pesquisa.

As mudanças impostas pela crise fizeram com que 68% das empresas pesquisadas no estudo IDC Latin America IT Investment Trends 2021 quisessem aumentar a produtividade até 2022, seguindo por redução de custos (50%), retenção de clientes (41%) e introdução de novos produtos / serviços (36%).

“Entre 2008 e 2015, aumento de produtividade e fidelização de clientes não estavam na lista de prioridades das empresas que se destacavam pela redução de custos, mas isso mudou nos últimos anos”, disse Luciano Saboia, gerente de pesquisas e consultoria do IDC Brasil.

No contexto dessas tendências mais amplas, os modelos de nuvem híbrida estão gradualmente se tornando mais proeminentes nos orçamentos de TI das empresas, observou o analista, usando números do maior mercado da região, o Brasil, para ilustrar os desenvolvimentos em andamento. De acordo com um estudo separado da IDC sobre nuvem híbrida, 48% das empresas no Brasil ainda usam apenas o data center tradicional como formato de infraestrutura.

A vantagem, segundo o IDC, é que 52% das empresas usam algum tipo de nuvem como parte de sua infraestrutura digital, mesmo que combinada com o data center tradicional. A empresa disse que 51% das empresas usam mais de um provedor de nuvem pública para IaaS (infraestrutura como serviço) e PaaS (plataforma como serviço).

Em relação ao futuro da infraestrutura digital na América Latina entre 2020 e 2024, a IDC espera um crescimento de 43% para IaaS, 11% para infraestrutura hiperconvergente e 4% para LCaaS (Local Cloud as a Service). Em 2024, 50% das empresas da região que usam Wi-Fi adotarão o Wi-Fi 6, prevê o analista.

De acordo com levantamento semestral do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), braço de pesquisa do Centro Brasileiro de Informações em Redes (NIC.br), publicado no ano passado, a adoção da nuvem tem cresceu em todos os setores no Brasil.

O armazenamento baseado em nuvem no país cresceu de 25% para 38%, observou o estudo. O software empresarial na nuvem aumentou de 20% para 27% em dois anos entre 2017 e 2019, assim como o uso da capacidade de processamento da nuvem, que passou de 16% para 23% no mesmo período.